quarta-feira, abril 08, 2009

Feliz Páscoa!

Normalmente, eu não costumo gostar muito dessas datas comemorativas.

Hoje em dia, a maior graça, pra mim, é o fato de termos feriados durante a semana e às vezes, se tivermos sorte, o feriado cai numa terça ou quinta e todo mundo é liberado do trampo e da facul na segunda ou sexta.


Quer dizer... eu não reclamo de ganhar presentes no Natal, do Papai Noel e tudo. Mas aquela coisa de luzinhas não me encanta mais. E eu também não me importo de viajar no Ano Novo, encher a cara de pró-secco ou champagne e dar PT na areia. Mas pular ondinha e new year’s resolutions nunca foram minha praia.

Agora... da Páscoa, eu gosto de tudo! Incrível.

Sei lá... deve ter a ver com a tradição investigativa da Páscoa Brasileira. Eu sempre gostei dessas coisas de achar algo escondido, caça ao tesouro, coisa e tal. Ainda mais quando o brinde no final era uma coisa bacana – tipo um montão de chocolate branco crocante em forma de ovo. Ai ai...

Ou talvez tenha a ver com a minha família.


Tenho algumas memórias bacanas da minha infância, sobre essa data. Lembro de uma vez que meus pais encheram a casa de pegadinhas de coelho, que iam do lugar onde o ovo de páscoa estava escondido, pelos corredores, até a nossa cama. Eu imagino que deva ter levado séculos pra fazer cada uma das pegadinhas caprichadas, com os dedos, por toda a casa. Eu e a Amanda ficamos espantadíssimos com o quanto o Coelinho da Páscoa caminhava pelo lugar antes de deixar os ovinhos, e claro, felizes com o presente deixado por ele, no final.

Isso sem contar as inúmeras vezes que dormi na casa da minha avó e que ela mesma escondia por vários pontos distintos da casa os meus ovos de páscoa – até mesmo durante a adolescência, e me fazia procurar cada um deles, algumas vezes dando dicas de onde poderiam estar, e quantos eram.

Acho que graças ao trabalho dos meus pais e avós em sustentar a credibilidade das figuras do imaginário infantil, eu fui uma criança muito feliz. E que acreditou em Coelinho da Páscoa e Papai Noel até bem tarde. Eu gostaria de ter o mesmo cuidado com essas tradições com meus filhos, no futuro, acho importante no desenvolvimento emocional da criança.

Acho que no final eu tive bastante sorte. Eu não costumo valorizar verbalmente o trabalho que eles tiveram em sustentar a magia do “ser criança”, mas por ter sido criança por tanto tempo – bem mais tempo do que o meu irmão mais novo, por exemplo – eu hoje, creio, sou um adulto mais equilibrado e feliz. Tenho muito que agradecer, apesar de terem passado por fases muito ruins – financeiramente, afinal, meus pais são artistas, e artista não ganha dinheiro -, toda a Páscoa eu ganhava vários ovos, todo Natal, diversos presentes. Não tenho muito do que reclamar, da minha família. E creio que nem meus primos, ou meus irmãos... até hoje, contratamos um Papai Noel para a festa de fim de ano.

Anyways... Feliz Páscoa pra vocês. Que ganhem muitos ovos, engordem muitos kilos e sejam muito felizes.

4 comentários:

J. Junior disse...

Mandei nosso antigo blog para o espaço, por motivos financeiros.

Aí está o meu novo, com algo muito mais interessante que esse teu sentimentalismo barato sobre a páscoa e a nostalgia da tua infância. Coisa de primeira, como o teu post anterior.

Anônimo disse...

Isso de criar um ar investigativo através da Páscoa foi a melhor idéia que alguém teve. Claramente deve ter vindo de Sherlock Holmes, cansado de comprar vários ovos para seus filhos, comprou um só e criou uma puta esconde-esconde em cima cansando assim a mulecada de procurar no primeiro. HAHA

Esses dias eu estava pensando sobre a Páscoa. Como tudo de um lado bom e ruim... Séra que existe por ai uma criança traumatizada por que procurou e nunca achou os ovinhos?

Flines disse...

As crianças de hoje são totalmente sem graça e não duram nada.

Feliz Páscoaaa! =D

Ana Lulu disse...

Ouun isso foi tão bonitinho. :x

E eu também me sinto muito feliz por ter tido a minha infância prolongada (eu acho até que custei a querer sair dela! hahaha). Mas, hoje eu vejo o quanto isso foi ótimo! É uma pena que as crianças de hoje já querem pular logo essa fase. u.u'