terça-feira, janeiro 29, 2008

Será que o prozac cura?



Só como desabafo, se eu tivesse um desejo para fazer pra Deus, a Ciência ou para o Gênio do Aladdim seria um tipo de implante cibernético ligado diretamente ao meu cérebro e controlado por um microship dentro do meu umbigo que tivesse a função de ligar e desligar um tipo de sentimento.

Eu até abriria mão de entrar nas lojas e bancos com detector de metais só pra ter esse negocinho.

Assim, pouparia muito estresse na vida das pessoas. Eu poderia desligar com um click ou uma palma, ou um estalar do dedão do pé o amor que eu sinto, ou com outro, ligar direcionado à pessoa que eu quiser, podia fazer a mesma coisa com o ódio, desprezo, carinho, paixão. Se alguém tiver desenvolvendo algo parecido, eu topo ser cobaia.

Imagina, poder gostar sempre das pessoas certas, desligar seu ódio por alguém, passar a desprezar outra pessoa que mereça. Seria bacana se controlasse o medo, também. Algumas pessoas precisam de um botãozinho pro medo. Tem tantas pessoas no mundo que merecem um sentimento específico que você simplesmente não consegue demonstrar, ou que não merecem, e ainda assim, você sente.

Será que o prozac resolve essas coisas?

Um comentário:

andréa disse...

É pouparia muito estresse, mas parte desse estresses é importante para a gente aprender certas coisas. Não é legal, mas passa ;)
Beijo!