terça-feira, julho 17, 2007

A Frieza das Telecomunicações

Seria engraçado se não fosse trágico. Tomo por base os quatro maiores canais de televisão do Brasil: Globo, SBT, Record e Bandeirantes.

Existe um fato – uma notícia séria. Um avião da TAM, com 176 passageiros, provavelmente todos mortos, “deslizou” e atravessou uma das artérias do trânsito paulista, a Av. Washington Luís, poucos quilômetros da minha casa, e se chocou com um prédio da própria companhia do outro lado da avenida. Explosões, fogo, corpos, enfim, prato cheio para o telejornalismo.

Então eu coloco na Rede Globo, e puxa... novela das 8h. Claro que a morte de mais de 170 pessoas não é suficiente para ocupar o horário da novela das oito. Não merece uma transmissão ao vivo, uma apuração jornalística. A novela das 8 é muito mais importante.

Então, vou pro SBT. Jornalzinho do SBT, aquele mesmo blá-blá-blá, políticos, roubalheira, e uma notinha sobre um incêndio no outro Aeroporto mais importante do Brasil, o Santos Dummond do Rio. Hora ou outra, eles mostram uma imagenzinha do acidente aqui em Congonhas, fazem um comentário totalmente patético e voltam para a programação normal.

A Record manteve por umas duas horas uma transmissão “ao vivo” do acontecido, enquanto o fogo queimava e não tinha nada para noticiar. Mas decidiram que a novela deles é mais importante que a notícia do acidente, do que as informações aos interessados e parentes.

A Bandeirantes, que foi o canal que manteve por mais tempo a transmissão, nos obriga a suportar o Datena. Tudo bem, ao menos eles conseguiram infiltrar a Heleonora Pasqual dentre os bombeiros e fizeram uma boa cobertura. Suportar o Datena eu consigo, não consigo é aceitar que interrompam no meio a transmissão pra passar o jogo de vôlei de praia do Brasil contra um timeco qualquer das américas centrais. Que afinal, é muito mais importante que 180 mortos no que pode ser o maior acidente aéreo do Brasil.

Mas lógico, ultimamente nós escutamos tanto esse termo “maior acidente aéreo do Brasil”, que ficou vulgar. Ninguém mais liga.

Será?

Bom... pelo menos a RedeTV tá passando ao vivo.

E parece história de cinema, mas a amiga da minha mãe e madrinha do meu irmão deveria estar nesse vôo. Mas se atrasou e perdeu a viagem. Eu não acredito em deus, mas ela tem que agradecer todo dia por ter praticamente nascido de novo.

Um comentário:

Flines disse...

Eu não sei o que deveriam fazer na hora do acidente mesmo. Na Globo, entrou o Plantão e disseram que um avião havia se chocado e talz, mas não sabiam de nada sobre pessoas. Na hora, a tv não sabia nem que vôo era aquele.
Eu acho até melhor que eles deixem a programação normal e entrem de repente quando tiver alguma informação que valha a pena do que horas de fogo sem nada a dizer além da indignação com tudo. Indignados estamos sempre, não precisa um repórter falando isso com fogo atrás.

Familiares têm outros jeitos - melhores até - de conseguir informação. Tanto que é lei o nome das vítimas ser dito antes a eles do que à imprensa. Ninguém envolvido quer saber pela Fátima Bernardes o que aconteceu com o parente. O que o povo em geral quer saber é dito na hora que a informação chega. Acho que foi mostrado tudo na medida certa.